Brasil

STF confirma não ser obrigatório portar título de eleitor para votar

20 de Outubro de 2020 -Redação Pernambués agora
[STF confirma não ser obrigatório portar título de eleitor para votar]

O plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) confirmou, por unanimidade, que o eleitor não pode ser impedido de votar caso não tenha em mãos o título de eleitor, sendo obrigatória somente a apresentação de documento oficial com foto

Com a decisão, os ministros do Supremo tornaram definitiva uma decisão liminar concedida pelo plenário às vésperas da eleição geral de 2010, a pedido do PT. O julgamento de mérito foi encerrado nesta segunda-feira (19) à noite no plenário virtual, ambiente digital em que os ministros têm um prazo, em geral, de uma semana, para votar por escrito.

Em uma ação direta de inconstitucionalidade (ADI), o PT havia questionado a validade de dispositivos da minirreforma eleitoral de 2009 (Lei 12.034), que introduziu na Lei das Eleições (Lei 9.504/1997) a exigência de apresentação do título de eleitor como condição para votar.

Os ministros entenderam, agora de modo definitivo, que exigir que o eleitor carregue o título de eleitor como condição para votar não tem efeito prático para evitar fraudes, uma vez que o documento não tem foto, e constitui “óbice desnecessário ao exercício do voto pelo eleitor, direito fundamental estruturante da democracia”, conforme escreveu em seu voto a relatora ministra Rosa Weber.

A ministra acrescentou que a utilização da identificação por biometria, que vem sendo implementada nos últimos anos pela Justiça Eleitoral, reduziu o risco de fraudes, embora a identificação por documento com foto ainda seja necessária como segundo recurso.

Ela destacou também que, desde 2018, o eleitor tem também a opção de atrelar uma foto a seu registro eleitoral no aplicativo e-Título, e utilizar a ferramenta para identificar-se na hora de votar, o que esvaziou ainda mais a utilidade de se exigir o título de eleitor em papel.

“O enfoque deve ser direcionado, portanto, ao eleitor como protagonista do processo eleitoral e verdadeiro detentor do poder democrático, de modo que a ele não devem, em princípio, ser impostas limitações senão aquelas estritamente necessárias a assegurar a autenticidade do voto”, escreveu Rosa Weber, que foi acompanhada integralmente pelos demais ministros.

Comentários

Outras Notícias

[Ufba continuará sem atividades presenciais em 2021 ]
Educação

Ufba continuará sem atividades presenciais em 2021 

28 de Novembro de 2020

A Universidade Federal da Bahia (Ufba) anunciou, através de nota, que vai manter a suspensão das atividades presenciais no próximo ano e definiu que o próximo semestre também será online

[Vacina contra coronavírus não será para toda população, diz Ministério da Saúde]
Saúde

Vacina contra coronavírus não será para toda população, diz Ministério da Saúde

28 de Novembro de 2020

As primeiras doses da vacina contra a Covid-19 não irá atingir toda população, afirma o Ministério da Saúde

[Hackers atacam TRF-1, capturam dados e site sai do ar]
Justiça

Hackers atacam TRF-1, capturam dados e site sai do ar

28 de Novembro de 2020

Um ataque hacker atingiu os sistemas do Tribunal Regional da Primeira Região TRF-1, hoje (27)

[MEC lança jogo virtual para ajudar na alfabetização de crianças]
Educação

MEC lança jogo virtual para ajudar na alfabetização de crianças

28 de Novembro de 2020

Ferramenta é gratuita para celulares, tablets e computadores

[Recadastramento de aposentados está suspenso até o fim do ano]
Brasil

Recadastramento de aposentados está suspenso até o fim do ano

28 de Novembro de 2020

A exigência da prova de vida anual de aposentados e pensionistas do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) está suspensa até o fim do ano

[“Pra mim nem deveria ter tido eleição”, diz Suíca sobre festas de final de ano e carnaval em Salvador]
Política

“Pra mim nem deveria ter tido eleição”, diz Suíca sobre festas de final de ano e carnaval em Salvador

27 de Novembro de 2020

Contrário a qualquer tipo de festejos durante a pandemia do novo coronavírus no país, o vereador de Salvador Luiz Carlos Suíca (PT) criticou os debates encampados por grupos de empresários, prefeitura e moradores da capital sobre eventos de Natal, Réveillon e Carnaval