Brasil

Executivo rompe contrato milionário após ofensa racista em reunião

01 de Julho de 2022 - Jornal Correio
[Executivo rompe contrato milionário após ofensa racista em reunião]

A Proz Educação, empresa voltada à oferta de cursos profissionalizantes, encerrou um contrato de R$ 1 milhão com a Optat Consulting, fornecedora homologada à Oracle, multinacional de tecnologia, após o caso de uma ofensa racista.

Juliano Pereira dos Santos, diretor de tecnologia da Proz, foi chamado de "negão" pelo representante da Optat Matheus Mason Adorno durante uma reunião por videoconferência.

Além de encerrar o contrato, Juliano entrou com um processo na 5ª Vara Cível da Comarca de Campinas, em São Paulo, contra Matheus, com um pedido de indenização por danos morais. De acordo com o G1, a ação foi protocolada na última sexta-feira (24).

A reunião entre as empresas aconteceu em outubro do ano passado para tratar do desenvolvimento de um novo software para a Oracle e reuniu representantes das duas companhias credenciadas. Durante a videochamada, Matheus disse a Juliano: "Pô, negão, aí você me f***".

"O sentimento foi de revolta. Isso não pode mais ser tolerado. A decisão foi imediata, durante a reunião, eu falei que o contrato estava rescindido, porque tenho autonomia para isso. Conversei com meus sócios, que entenderam, e isso foi imediatamente acordado. A gente não teve dúvida. Isso fala muito da cultura da empresa, a gente não vai permitir que isso aconteça nem uma, nem duas, nem mil vezes", contou Juliano ao G1.

O executivo também processou a Oracle por suposta omissão. Segundo ele, a empresa manteve o contrato com a Optat mesmo após saber do caso. Cada uma das ações tem valor de indenização de R$ 50 mil. 

Em resposta ao ocorrido, Matheus Mason declarou que sua fala "escapou inconscientemente". "Foi inadequada sim, mas eu me retratei na hora, e acho que ele mesmo entendeu isso. Ele entendeu que não foi um crime, até porque se fosse um crime o processo deveria ser na esfera criminal e não cível. Eu não tenho interesse nenhum em brigar, mas eu me retratei. Foi uma figura de linguagem. Sou antirracista e acho que o Brasil tem sim um racismo estrutural que precisa ser combatido", afirmou.
 

Comentários

Outras Notícias

[Manifestantes de Salvador se uniram em defesa da democracia nesta quinta]
Política

Manifestantes de Salvador se uniram em defesa da democracia nesta quinta

13 de Agosto de 2022

Grupos de manifestantes fizeram um ato em defesa da democracia no Campo Grande, Centro de Salvador, na manhã desta quinta-feira (11).

[Prazo para pedir voto em trânsito termina na próxima quinta-feira]
Brasil

Prazo para pedir voto em trânsito termina na próxima quinta-feira

13 de Agosto de 2022

Se encerra na próxima quinta-feira (18), o prazo para os eleitores solicitarem o voto em trânsito para as eleições de outubro

[Mendonça trava inquéritos que incomodam Bolsonaro]
Justiça

Mendonça trava inquéritos que incomodam Bolsonaro

13 de Agosto de 2022

O ministro André Mendonça, do Supremo Tribunal Federal (STF), suspendeu o julgamento de uma série de recursos apresentados nos inquéritos que atingem o presidente Jair Bolsonaro (PL) e seus aliados

[Brasileiros entram na lista do calote por deixar de pagar gasto com alimento]
Economia

Brasileiros entram na lista do calote por deixar de pagar gasto com alimento

13 de Agosto de 2022

A fatia de brasileiros que engrossou a lista de inadimplentes pela falta de pagamento de despesas com comida, entre janeiro e junho, foi a maior em cinco anos

[Homem é único em Salvador autorizado a plantar maconha em casa]
Bahia

Homem é único em Salvador autorizado a plantar maconha em casa

13 de Agosto de 2022

Desde fevereiro deste ano, o engenheiro e morador da capital baiana está autorizado a cultivar a planta cannabis, que é o remédio dele

[Bolsonaro diz que rachadinha é
Política

Bolsonaro diz que rachadinha é "prática meio comum" e desconversa: "não vou falar de mim"

13 de Agosto de 2022

Em entrevista neste sábado (13) ao canal Cara a Tapa, no Youtube, Jair Bolsonaro (PL) afirmou que o esquema de corrupção conhecido como "rachadinha" - que foi alvo de investigação em gabinetes dos filhos Flávio e Carlos - é "prática meio comum" entre os políticos